quarta-feira, 16 de abril de 2014

Meu amigo negro é o macho da minha esposa II

 
Escritos por: tudoreal
 
Continuação!!
Jeff meu amigo,estava ali no meu quarto,junto à nossa cama de casal e minha esposa cada vez mais alucinada por ele…
Ele notou uma certa indecisão em Flavia,ameaçou ir embora e quando chegava à porta do quarto escutou-a :”por favor..fique” o cacetão continuava em estado de ereção total, e ela falou:”eu quero…quero muito”..lentamente ele voltou,conforme dava um passo o cacetão balançava e parecia crescer ainda mais.ficaram frente a frente,ele levantou-a da posição em que estava sentada e suas bocas se colaram,famintas,sequiosas,num beijo guloso,e beijar é uma coisa que minha esposa é fantastica,o beijo durou minutos e ganhava mais desejo e sensualidade,ele foi posicionando-a de uma forma que eu pudesse ver seu poderoso instrumento sendo alojado entre as coxas de minha mulher e a cabeça enorme aparecer do outro lado,abaixo do ânus,eu sentado no escuro do quarto delirava de prazer,queria muito ver os proximos passo,mas eles se curtiam e não tinham pressa,ela nunca foi cortejada com tanto desejo e volupia,e estava totalmente descontrolada pelo poder sedutor do macho,eles ainda estavam colados no beijo e eu ouvia seus gemidos de prazer abafados dentro da boca dele,ele carinhosamente com suas mãos envolveu o rosto de Flavia,descolou do beijo e sentou-a na beira da cama,seu potente e robusto cacete negro ficou diante do rosto dela,e ele falou:” voce está proibida de olhar na direção do teu marido,como se ele não estivesse aqui,,agora,ssinta o gosto e o cheiro de um macho de verdade,sita o sabor daquilo que te desvirginará,que te fará mulher total..” o cacete estava imenso,minha mulher extasiada segurou-o com as duas mãos,sobrava ainda um cacete do tamanho do meu e bem mais grosso,aproximou sua boca da glande gigantesca,tocou-a com a lingua,ele gemeu ao contato,ela excitou-se ainda mais porque viu que ele gostava,o sabor e o poder da verga inebriou-a e ela agora lambia toda a extensão,e voltava tentando abocanhar a cabeça,alucinado vi minha mulher sem tirar sua boquinha da potente pica ir deixando seu corpo descer ao lado da cama para ajoelhar-se diante dele,em total submissão,mas com gula total,ela olhou pra cima pra ver as expresso~es de seu macho e ficou extasiada com o que viu,os olhos dele cerrados e aquela expressão de prazer imenso..aí ela caprichou,abriu bem a boca para envolver tudo o que pudesse da glande e sua lingua começou a passear no cabresto,por baixo da cabeça,Jeff viu que não controlaria mais,mesmo assim heroicamente segurou a ejaculação,e deitou minha esposa na cama,ela sussurrou:”não quer fazer na sala? em outro lugar da casa? aqui é nosso leito conjugal!” pra minha felicidade ele respondeu: “tem que ser aqui,nessa cama,onde voce pensa que já teve algum prazer,mas verá que só passou vontades e frustrações,hoje será mulher,ou melhor,será femea de um macho!” Flavia ainda argumentou:” pensei que voce respeitasse mais teu amigo” e ele disse:”é justamente em respeito a essemeu amigo que eu vou realizar sexualmente a esposa dele,voce ainda entenderá isso!.
Parece que era o que minha esposa necessitava ouvir,a partir desse momento ela foi liberando-se,ele puxou-a para a beira da cama,com a buceta virada em minha direção,ele posicionou-se de lado para que eu pudesse ver toda a extensão de sua verga poderosa,foi agachando seu corpo e direcionando a glande para a entrada da bucetinha de Flavia,ele fez um sinal para eu me aproximar por trás dele e assim poder ver bem de perto o início da penetração,aproximei-me e senti o calor e o cheiro que emanava daquele poste preto,não nego,gostaria de lambe-lo,pude ver tambem que a buceta de minha esposa já estava molhada pela excitação,e quando a cabeça tocou seus labios vaginais ela envolveu-a com as duas mão para sentir sua grandiosidade,e sussurrou:” por favor,não me magoe..é enorme…não sei se suporto..” ele enlouqueceu-a ao dizer:”tou te querendo demais…como nunca quiz outra..jamais te magoarei..! e ela:”quero muito..tenho medo da dor..que me rasgue toda!”.. e Jeff:”sempre comandei o ato…mas hoje deixo pra voce saber até onde suporta…só te digo que quanto mais suportar mais prazer e mais fortes serão teus gozos..!
eu estava ajoelhado no chão atrás dele vendo aquele cacetão descomunal na entrada da bucetinha de minha mulher e aqueles saco com bolas enormes bem diante de minha face,escutando o que diziam e ouvi um suspirar forte de Flavia quando vi a glande gigantesca alojar-se entre os labios vaginais de minha esposa e ali desaparecer,o corpo dela estremeceu completamente,estava começando a penetração mais desproporcional e excitante que eu vi em toda minha vida,a cabeça imensa alojada esticava completamente a abertura vaginal de flavia,e ainda tinha mais de 20cm de pica para serem introduzidos,embora eu quisesse muito que ela suportasse tudo não acreditava ser possivel..

Foto 2 do Conto erotico: Minha esposa me traíndo na boate!!!!

meu sonho de ver minha esposa sob o jugo poderoso de Jeff,realizava-se da forma mais linda que poderia acontecer,o macho Jeff,o palco:nossa cama de casal,onde eu jamais a realizaria..poderia ser melhor?..
A glande toda alojada,e agora via com o coração aos pulos uma das mãos dela acariciando a parte externa da coxa dele,era o sinal que Jeff esperava pra empurrar mais uns 3 ou 4 cm de poder negro pra dentro daquela buceta branca submissa,ela gemeu mais alto,sua mão parou de alisar a coxa dele e a outra mão veio de encontro à haste negra,grossa e potente,dando um contraste maravilhoso de cor de pele e de dimensões,a mãozinha ficava bem pequena naquela verga descomunal,sua mão percorria toda a extensão da haste robusta,e ela sussurrava:”é enorme…gigantesco…potente..de arrasar!” e enquanto sussurrava sua outra mão voltou a alisar a parte externa da coxa dele e mais um tanto de pica foi empurrado pra dentro daquela pequena buceta..ela gemeu mais alto e mais gostoso ainda…ela estava sendo maravilhosa,valente e corajosa,já tinha metade daquele cacete cavalar enterrado nela,e eu ficava louco vendo cada passo daquela penetração que parecia ser totalmente impossivel,eu delirava e queria que ela suportasse tudo,eu sabia que se ela servisse plenamente a ele,teriamos um macho em nossa cama durante muito tempo,ou até definitivamente,me veio uma vontade enorme de lamber aquela haste enorme que naquele instante fazia minha esposa gemer e chorar de dor e prazer,e aos poucos vejo um novo deslizamento,e novos e mais excitantes gemidos dela,e pensei como seria maravilhoso se eu pudesse ntrar ali embaixo e lamber tudo,os labios vaginais totalmente distendidos dela,a haste negra gorra e poderosa que ainda restava pra fora e aquelas bolas gigantescas daque saco escrotal poderosíssimo e inseminador..enquanto eu pensava observei mais um aprofundamento da verga,restava apenas uns 6 cm,e Flavia suplicou:”por favor..devagar agora…vai me arrebentar..tá forte no fundo..”achei que dali não passaria mais,infelizmente,pois eu adoraria que ela o engolisse até a raiz…
mas Jeff,o macho,estava determinado a conhecer o limite dos limites de sua nova femea,permaneceu pressionando o fundo da cona e Flavia ir dizendo:”me tomou toda….tá empurrando o fundo…nunca senti algo tão forte…dí demais…mas é maravilhoso!! ele continuou a pressão e foi vendo as feições de minha esposa irem se transformando do sofrimento ao prazer de servir seu macho numa posse tão absurda e aberradora…incrédulo vi os quadris dela movimentdo-se lenta e circularmente,sentindo todo o poder contido naquela verga cavalar,mais alguns lentos movimentos dela e a vi agarrando-se aos braços dele,e tendo um primeiro e longo orgasmo de sua vida,e estatelou-se na cama…Jeff continuou imovel,pressionando fortemente o fundo,e disse:”hummmm,goza gostos essa cadelinha!!se mela toda no cacete do macho!!hoje vai perder totalmente a virgindade,vai se tornar mulher…vai gozar até não aguentar mais!!” eleia falando e Flavia foi se restabelecendo do estado que ficou após o forte orgasmo,ele notou seu restabelecimento e voltou a forçar o fundo,ela voltou agemer,a pressão aumentava mas não ia mais,a pressaão foi intensificada e minha esposa gemendo loucamente e alucinada voltou a fazer movimentos circulares de quadris,logo estava novamente agarrada nos braços dele e tendo outro orgasmo muito mais forte que o anterior,agora ela estatelou-se quase desmaiada,e fiquei doido ouvindo-o dizer que ela era muito femea,que ela goza esporrando-se toda,que femea assim necessita de macho insaciavel…eu nem acreditava no que ouvia,ra demais pramim o que estava acontecendo,nem o mais otimista dos meus sonhos isso sera possivel,Jeff estava ali,com sua tora poderosa quase totalmente enterrada em minha mulher,que gozava cada vez mais intensamente,se entregando ao macho em nossa cama,sem maiores preocupações com minha presença,e mais incrivel é que isso me alucinava de tesão..
por duas vezes mais Flavia gozou naquele cacete descomunal,até que Jeff decidiu intensificar totalmente a pressão no fundo,e finalmente conseguiu introduzir mais cacete na judiada buceta de minha esposa,agora apenas uns 4cm restavam,estarrecido e alucinado ouço gritos guturais de minha mulher,assustei-me mas logo vi que era um orgasmo fantastico que se apoderou dela,e soube que não era apenas mais um tanto de cacete que havia entrado,ele descarregava uma torrente enorme de porra dentro dela,as bolas estavam gigantescas,tinha muita porra que ele havia acumulado durante aquelas horas de ereção total que esteve ali,e minha esposa urrava de prazer e dizia estar sentindo as golfadas fortes e fartas no fundo,perdeu os sentidos por alguns instantes durante o orgasmo mais arrasador que tinha tido até então…
quase desmaiei tambem,sem tocar no meu cacetinho ele esporrava sem parar…saí dali onde estava e fui novamente para o canto escuro que Jeff providenciou pra mim e fingi dormir..
minha mulher aos poucos restabelecendo-se dos gozos alucinantes que teve,ainda totalmente nua em nossa cama,lembrou de minha existencia,e olhou em minha direção e comentou com seu machoque eu ainda dormia,ele ficou em pé ao lado da cama e ordenou que minha esposa limpasse todo seu enorme cacete que ainda estava incrivelmente volumoso e duro,inicialmente constrangida,nunca havia lambido porra,iniciou lambendo,mas aquilo havia proporcionado à ela o maior prazer de toda sua vida´fazendo-a gozar como uma devassa,lambeu,sugou sofregamente todo o cacete,ajoelhou-se submissa diante dele e foi lamber a base do mastro e suas bolas que haviam entupido sua cona de porra…Jeff soberano diante da submissão dela foi dizendo:” voce precisa e merece macho com muito cacete pra te dar…e agora voce tem esse macho…ainda hoje,durante essa noite teremos nossa lua-de-mel…vou passar a noite toda com voce nessa cama…quando eu for amanhã cedo voce não terá mais nenhuma dúvida de que tem um e único macho que será sempre teu dono!!
não era possivel que eu ouvia aquilo,eu devia estar delirando,mas logo o ouvi dizer :”agora vou até em casa..antes de anoitecer estarei de volta…pra voce saber o que é uma noite de prazer…agora deita nessa cama e fique com as pernas abertas.vou acordar teu maridinho pra ele lamber essa buceta pra ele sentir o cheiro e o gosto do macho que agora é o dono da esposinha dele” ..disse isso,vestiu seu short e camiseta,veio ao lugar que eu estava,fingiu que me acordou,apoiou uma das mãos em meumbro e me dirigiu para junto da cama onde minha mulher estava deitada de pernas abertas como ele ordenou,e falou :”entrei aqui no quarto e tua esposa delirava,dizendo que um macho negro,como aquele que fode a irmã dela,esteve aqui e fez ela tornar-se mulher definitivamente..sente o sabor do macho nela e depois me diga o que achou desse sonho maluco dela…mais tarde eu volto pra saber o que voce tem a me dizer!”
falou e saiu
o quarto ainda semi-escuro,Flavia ali deitada com as pernas abertas e com a buceta escorrendo porra do macho,olhava em meus olhos,sem dizer basolutamente nada,comecei a me despir,expus meu cacetinho que agora tinha tornad-se totalmente insignificante diante dela,mansinho e obediente como todo bom corno tem que ser,ajoelhei-me ao lado da cama,ela ainda me olhava nos olhos num misto de tesão e apreensão,com as duas mãos abriu seus lábios vaginais,seu buraco estava avermelhado,os labios vaginais dilatados,muita porra a lhe escorrer,em filetes a porra saia e acumulava-se no lençol formando uma poça,eu estava num tesão incrivel,meus olhos vendo a buceta aberta e dilatada expelindo porra de macho,meu nariz sentindo o cheiro de sexo e de macho,fui curvando meu corpo e quando meus labios tocaram seu sexo tivemos algo parecendo um choque,seu corpo vibrou todo,e eu inebriado pude sentir o gosto do meu amigo de infancia,do meu protetor,do meu ídolo e que agora era o macho da minha esposa,macho da nossa casa..fui lambendo,saboreando,o corpo dela tremia e ela gemia de prazer,eu,seu maridinho corno ficava cada vez mais frenético,obedecendo as ordens deixadas pelo macho,chupando e engolindo toda a porra que ia ainda saindo da buceta e escorrendo por suas coxas,até me deparar com a poça do líquido reprodutor do macho de minha mulher,me sentia um corno,puto e vadio e isso me excitava e me levava à loucura..
Flavia notando minha obediencia e submissão ao que Jeff havia ordenado já arriscava sussurrar algumas coisas como ;”tá gostando amor?” eu só ia confirmando que sim com a cabeça,sem parar de lamber,saborear e engolir porra,e ela sussurrou mais :”que loucura é essa!!..alucinação maravilhosa!!…um macho !!…pleno,forte potente,me tomou toda…entru em mim…nos meus sonhos…me fez sentir dor…prazer…me levou ao delírio!!”
eu gemia de prazer em sua buceta enquanto ela dizia essas coisas,abri com meus dedos seus lábios vaginais para ir buscar mais algum resquício do semem do macho,e maravilhado vi que ainda tinha ali uma quantidade enorme daquele poder em forma líquida e viscosa,meu pau não ejaculava mais,apenas escorria,como é natural nas femeas,e essa forma de gozo me fez sentir o maior prazer da minha vida até aquele momento,enquanto minha esposa obtinha um forte orgasmo ao notar a sofreguidão com que eu degustava e engolia ávidamemnte a porra do seu macho…
levantei-me de onde estava e deitei meu corpo sobre minha esposa,o pintiinho melado todo muchinho,nos beijamos apaixonadamente,por longos minutos,não falamos nada,qualquer palavra poderia destruir o encanto dos nossos delírios,íntimamente e realmente sabiamos que aqueles sonhos e delírios eram uma maravilhosa realidade…adormecemos,sabendo que naquela noite tudo se repetiria,só não imaginavamos, ainda, a intensidade do inenarravel prazer que esntiriamos…

Meu amigo negro é o macho da minha esposa I

 
Sou Marcio,comerciante,31 anos,branco,172 e 69Kg,cadaso com Flavia,30 anos,bem branquinha,loirinha,1,68 e 61Kg,muito gostosinha,estamos casados a 6anos e não temos filhos por problemas de fertilidade minha.Conheci minha esposa quando eramos adolescentes,eramos vizinhos e nossos pais eram amigos,ela era magérrima na época e era até zombada por outras meninas mais cheiinhas,eu tambem nunca fui encorpado,estatura mediana,magro,muito tímido,mas jogava muito bem futebol e só não me profissionalizei por falta de apoio de meus pais que preferiram que desse prioridade aos estudos,e eu era tambem muito bom na escola.Desde pequeno eu frequentava as quadras e campos de futebol e tinha uma amigo negro chamado Jefferson que todos chamavamos de Jeff,dois anos mai velho que eu mas estavamos na mesma classe na escola,e jogavamos nos mesmos times,ele não era bom nem na escola e mediano no futebol,mas era bem maior que eu e muito forte,e como eu era franzino e tímido ele me defendia caso alguem viesse com gozações para o meu lado,era mesmo um amigão.Após os jogos iamos ao vestiário para tomar banho e aí é que ele se destacava de todos os demais,e porisso era chamado pela molecada de “benga”,”tripé”,”jumentão”,pois tinha um cacete gigantesco.Tenho um pau muito pequeno e vendo o Jeff exibindo aquele monumento ficava até com complexo e nunca tirava meu short durante o banho,para evitar gozações.
Ele me protegia de qualquer gozação,eu dava cola pra ele nas provas,e sempre dava bons passes pra ele fazer os gols durante o futebol,assim mantinhamos uma estreita amizade.Essas coisas tem tudo a ver com o que narrarei a seguir.Jeff mudou-se com a familia,nessa época eu estava com 19 anos, e acabamos perdendo totalmente o contato.Casei-me com Flavia quando ela já tinha 21 anos e já não tinha nada mais de magricela,tinha se tornado uma bela mulher.
Antes de casarmos ela teve alguns namorados e com um deles perdeu a virgindade.Eu casei virgem.
Mesmo com meu pequeno cacete tinhamos uma vida sexual normal,pelo menos achavamos que tinhamos,até que a irmã mais nova que ela e que tambem era casada abandonou o marido e um bom conforto para ir morar na periferia numa casa bem humilde com um mulato,e falava pra Flavia que agora estava feliz,e realizada sexualmente…
Quando eu soube disso imediatamente associei esse macho da minha cunhada ao Jeff.Notei que a partir daí minha mulher começou a ficar mais tesuda,já não sentia mais o mesmo prazer comigo,comecei a encontrar em suas coisas alguns endereços de sites com filmes pornô,todos com sexo interracial,geralmente negro de cacetes descomunais fodendo brancas,e algumas vezes depois de adormecermos após transarmos,eu via ela dirigindo-se ao banheiro e logo escutava seus gemidos abafados e depois soube que se masturbava imaginando estar no lugar das mulheres que via nos vídeos de negros submetendo brancas…comecei usar vários artífícios em nossas transas,meu cacete não a atraia mais,comecei intensificar o sexo oral,estimulava seu ânus,aocanhava seus seios,mas na verdade minha virilidade é bem pequena,não tenho pegada,meu apetite sexual não é intenso.Comecei a ter sonhos onde minha esposa era uma puta que só queria negros cacetudos para sacia-la sexualmente,e acabava acordando com meu cacetinho ejaculando loucamente…tanto fantasiei essas coisas que parece que materializei…em setembro de 2009,saí da firma e fui tomar um chopp,e quem encontrei? …isso mesmo,o Jeff…fazia uma semana que tinha voltado à nossa cidade e estava me procurando,queria muito me encontrar e saber como eu estava…fiquei radiante,tinha pensado nele todos esses dias,minha mais íntima fantasia era entregar totalmente minha espôsa à ele,mas não tinha a mínima idéia de como realizar isso,e essa fantasia me alucinava…e agora ele estava ali à minha frente,ficamos naquela choperia algumas horas,ele me contou que estava casado mas não era feliz sexualmente,e chateado dizia que com aquele cacete imenso a esposa reclamava de dores e até mulheres da zona tinham negado sexo à ele.Contei à ela que havia casado com Flavia e ele logo perguntou: a magricela? disse que sim mas que agora ele não a reconheceria,….convidei-o para ir em casa com sua espôsa,e ele disse que era difícil tira-la de casa pois tinham 3 filhos pequenos que davam muito trabalho…era uma sexta-feira,eu não podia perder essa oportunidade e disse vamos ver o nosso time jogar amanhã cedo e depois tomar alguma coisa,felizmente ele topou imediatamente e no dia seguinte após o jogo nos dirigimos à minha casa,antes pedi que Flavianos preparasse uns petiscos que eu levaria um amigo que ela tambem conhecia,ela quiz saber quem mas eu disse ser uma surpresa…Ele estava com um chinelo hawaiana e um short bem solto,estava na dele,jamais imaginava minhas intenções,mas eu estava numa ansiedade enorme,toda a grande admiração que tive por ele estava ali mais forte do que nunca,e eu sabia exatamente onde queria chegar,e para isso minha mulher teria que sentir alguma atração por ele,pois nenhum dos dois poderia sequer imaginar minhas intenções….por varias vezes imaginei e desejei ter o Jeff em nossa cama para ama-la e fode-la como ela merecia e necessitava…adentramos a casa e eu tremi quando vi Flavia na cozinha e fiz um sinal para Jeff me seguir,e vi o olhar de espanto e surpresa quando minha mulher disse: “voce?”, o Marcio me disse que ia trazer um amigo,embora sempre soube que ele te considera o melhoar amigo dele,mas nunca mais o vimos!!…se cumprimentaram com beijinhos,e ele mostrando toda sua forte personalidade de macho logo foi elogiando-a: “teu marido me disse que eu não ia reconhece-la,realmente,que transformação maravilhosa,aquela magrelinha tornou-se uma linda e exuberantemulher”…minha esposa corou na hora agradecendo,notei seus olhares fixos um no outro e isso me agradou demais,a primeira impressão é a que fica,não poderia ter sido melhor…eu tinha um plano em mente,tanto que havia providenciado algumas cervejas sem alcool,minha mulher sabe que depois de umas 4 cervejinhas estou tontinho,sentei no sofá da sala e logo minha esposa sentou-se ao meu lado e deixei a poltrona bem à frente para o Jeff,tudo melhor que eu havia imaginado,com aquele short de futebol que ele vestia se estivesse sem nada por baixo seria uma verdadeira obscenidade,e sabendo o jeito descolado dele eu sabia que ele não estava nem aí se aparecesse alguma coisa,além do que,intimamente ele tinha consciencia que sua personalidade forte dominava totalmente a minha,e que eu não faria objeção a qualquer atitude dele,como nunca fiz..sem imaginar o que se passava em minha mente minha mulher sem querer colaborou,vestia uma blusinha bem leve,sem nada por baixo,uma sainha bem solta na altura dos joelhos,deixando à mostra o que ela tem de maislindo que são suas pernas,Jeff não conseguiu disfarsar a forte atração que teve por minha mulher,não tirava os olhos dela,enquanto ela ia e voltava pra sala trazendo os petiscos..fui até a cozinha e lá peguei uma das minhas cervejas(sem alcool) e enchi o copo de Jeff com cerveja comum,demorei um pouco e de lá podia ver os olhares gulosos do meu amigo para o corpo de minha deliciosa esposa,senti um tesão incrivel ao notar isso,notei tambem imha mulher um pouco embaraçada,com certeza percebeu a gula com que estava sendo observada…logo estavamos sentados como eu havia planejado com Jeff bem à nossa frente,e logo pudemos ver que ele não tinha mesmo nada por baixo do seu short e aquela enromidade que eu bem conhecia estava solta embaixo do tecido,Flavia impacientou-se,eu sabia que ela tambem havia notado,algo a incomodava,conforme nossas conversas foram se tornando agradáveis ela tambem pegou um cálice de vinho do porto e lentamente foi bebericando,num determinado momento Jeffe perguntou à Flavia sobre a irmã dela que ele até chegou a paquerar quando ainda adolescente,minha mulher surpreendentemente não escondeu nada,contou que ela haviafugido com um amante negro,foi morar num casebre da periferia mas estava fezliz…meu plano chegava ao momento que eu tanto queria,peguei mais cervejas e tomei duas quase seguidas na frente deles e minha mulher me advertiu carinhosamente “olha amor!voce sabe que não aguenta beber assim!”..fui fingindo que estava ficando embriagado,minha mulher sabe que durmo e ronco quando tomo algumas a mais,Jeff foi pegar mais um salgadinho na mesa e quando afastou o inevitavel aconteceu,metado do cacete negro ficou exposto,extasiei-me com o visual,parecia ainda maior do que eu via em nossos banhos,logo olhei pra Flavia que não conseguia tirar os olhos de lá,Jeff como se nada tivesse acontecendo perguntou onde estava o banheiro e minha mulher indicou o lavabo que fica num hall na mesma sala em que estavamos,aí finji que adromeci mesmo,e de olhos cerrados ouvi Flavia dizendo a ele que era só eu beber um pouco a mais que eu dormia assim pesado…onde eu estava podia ver a sala toda,vi Jeff voltando e sentando no mesmo lugar que estava,minha mulher levantou-se e foi pegar o copo dele para enche-lo novamente,ela tambem tava um pouco alterada pelo vinho,e quando aproximou-se mais dele ficou entre eu e ele,eu sentado fingindo dormir e ele sentado,seu instinto de macho percebeu que ali tinha uma femea no cio,ouvi ele pedindo(praticamente ordenando) pra ela ficar ali mesmo em pé como estava,eu não podia ver os rostos deles,,ouvi ele sussurrando :”ele não te faz feliz” e ela respondeu baixinho que era muito feliz ao meu lado, e novamente ele sussurrou: “não é dessa felicidade que tou falando,é daquela que tua irmã está tendo,e essa felicidade eu tenho e muito pra te dar,é essa aqui,veja!” minha mulher não se movia,só vi pela posição de sua cabeça que estava hipnotizada vendo aquilo que ele havia tirado do short,,como eles não podiam me ver arregalei os olhos e pude ver parte de algo gigantesco,que não parava de crescer e enrijecer,finalmente ouvi Flavia dizer: “é lindo,maravilhoso,forte,enorme,poderoso,mas por favor guarda isso!”…ele parce que nem ouviu,baixou ainda mais o short,nessa hora emiti um ronco pra ela saber que eu não acordaria tão cedo,ela ainda paralizada com o que via,e para meu regosijo agora eu podia ve-lo por inteiro,só o tinha visto em estado de flacidez,e ele ainda não era nem adulto,estava muito mais potente e poderoso que eu poderia imaginar,hoje sei que mede 28×5,5cm,e tem os culhões proporcionais à essas dimensões,Flavia só pedia: “por favor,não faz isso,aqui não, ele pode acrordar!” e ele com toda a soberania de um macho que sabe o terreno em que pisa,empunhando aquela ferramenta poderosíssima,disse:” isso aqui só não será teu se voce não quiser,e não sera teu maridinho que me impedirá de te-la quanto e quando eu quiser,e voce saberá o porque estou dizendo isso!”..quase gozei ao ouvi-lo dizendo essas coisas,ele estava sendo melhor do que eu imaginava,e soberanamente continuou :”voce terá que decidir agora,nesse instante,se me obedecer vai ser minha,saberá o que é a verdadeira felicidade que uma femea pode ter com um macho” minha mulher interrompeu ;”por favornão faz isso!”..ele sabendo ser o dono da situação apostava que Flavia já havia perdido totalmente o controle,que estava hipnotizada pelo poder daquela haste negra,e não se negaria a obedece-lo,eu alucinado queria dizer à ela que obedecesse logo,em tudo o que ele quisesse,que por favor ela deixasse ele enfiar aquele cacete todo dentro dela naquele mesmo instante e todas as outras vezes que ele desejasse,mas tive medo de por tudo a perder,a decisão tinha que ser dela,pra eu poder ter toda a certeza que ela cedeu totalmente aos desejos daquele macho e assim poder iniciar ura relação duradoura…me contive,esperei…foram segundos angustiantes,vi ele alisando aquela enormidade, e ouvi-lo :”fique tranquila,nada vai acontecer aqui e agora,não vou tocar um dedo em voce,mas a decisão é tua,se voce quiser ISSO AQUI pra voce,levante agora a parte da frente da tua saia,bm lentamente,mostra pausadamente tudo o que tem pra me dar”…meu coração quase parou,tive ímpetos de me jogar aos pés dela pra ela ceder,e agora sem Fõlego,com meu coração aos pulos,a vi curvando lentamente seu corpo pra frente,pegar a barra da saia e lentamente foi ficando ereta,quanto mais se erguia mais a cortina do pudor desnudava-se diante dele,ouvi os quase inaudiveis gemidos dele a cada parte de suas pernas e de suas coxas que apareciam,ela fitava sem desviar o olhar a poderosa ferramente e ele as deliciosas coxas dela,ele agora queria mais :”me dá tua calcinha,vou leva-la comigo!!” ela nem esboçou reação,só disse :”tire ela pra mim,por favor!”,quase enlouqueci quando a ouvi dizer isso,Jeff lentamente arriou a calcinha dela até os pés,pela primeira vez na vida ela mostrava sua buceta a um verdadeiro macho,que só faltou relinchar como um garanhão quando viu a égua que estava ali à sua disposição…eu estava adorando a forma com que ele dominava minha esposa,e o quanto aquele cacete descomunal a descontrolou,a ponto de faze-la obedece-lo daquela forma,ela nem parecia lembrar que eu,seu marido estava ali,a menos de 2 metros deles,e permanecia com a saia levantada expondo suas deliciosas coxas e sua buceta para o macho,e isso me dava um prazer enorme…..para meu deleite e para alucinar totalmente minha mulher ele agora empunhava aquela enormidade com as duas mãos e ainda sobrava cacete,meu pequeno cacetinho explodia de tão duro,e ele resolveu ousar um pouco mais e disse: “quer senti-lo?” e Flavia :”por favor,aqui não,
!” e ele :”só perguntei se quer senti-lo,se quiser adante-se um pouco….”mas e ele?” referindo-se a mim….”deixa ele comigo,sei o que estou dizendo”…tive vontade de empurrar minha mulher pra cima dele,mas ao mesmo tempo me excitava muito mais vendo-a obedece-lo por vontade própria…alguns instantes indecisa ela deu um passo a frente,seus joelhos estavam entre os joelhos dele,,seus seios ainda cobertos na altura do rosto dele e ele :”que cheiro delicioso de femea voce tem,meu tesouro!”…ouvi um suspirar profundo dela ao mesmo tempo em que estarrecido vejo aparecer entre as pernas de minha esposa a cabeça rombuda daquele poderoso mastro negro,meu coração acelerou,fiquei até meio zonzo diante de tanta magnitude,e pensei que um macho poderoso como aquele tem que ter a femea que quiser e na hora que quiser,não tendo namorado,noivo ou marido que possa evitar isso…enquanto eu não conseguia tirar os olhos daquilo que tambem me hipnotizava fui ouvindo Flavia sussurando pausadamente: ” é enorme…potente…grosso demais…lindo!!”eu já estava alucinado de tanto tesão,pensava em dizer à ela que cedesse totalmente,porque aquele era o macho que sempre sonhei que ela tivesse,que desde minha infancia eu sonhava em ve-lo naquele estado de ereção e de pujança em que se encontrava naquele instante….mas novamente me contive,pra minha fantasia ser totalmente realizada eu pressenti que tinha que me conter,eu não queria ver simplesmente um macho potente fodendo minha mulher,eu queria muito mais do que isso,eu queria que aquele meu amigo de infancia,meu “protetor”,que me defendia de gozações e de humilhações de outros adolescentes eque sempre admirei,quase um ídolo meu,causador de alguns complexos meus,sem nenhuma intençao por parte dele de me inferiorizar,mas por sua forte presença física e personalidade,além é claro daquele cacete majestoso,que mesmo em sua flacidez ia quase aos joelhos e que ele exibia soberanamente durante os banhos em nossos vestiários,eu queria que esse macho específico tivesse a minha mulher, e exatamente da forma que estava acontecendo naquele momento,ele se impondo,naturalmente dominando-a,ve-la no primeiro dia reconhecer o macho que a realizaria plena e totalmente como femea,era desse e somente desse macho que eu queria ser corno,muito corno,porisso não podia interceder,pra não perder a naturalidade da conquista,para que sua ousadia fizesse ela perder todos os seus controles e ali,na minha frente ceder aos desejos intensos que ele despertou nela…eu queria que a posse se iniciasse rapidamente,mas curtia a lentidão da conquista e da entrega…ela foi despertada por ele que disse: “quer continuar assim,ou quer parar?” ela virou a cabeça pra trás onde eu estava,emiti um leve ronco,e imediatamente a ouvi: “deixa assim..por favor,deixa assim!”..e ele :”levante a frente da blusa,me mostra teus peito,está,sempre assim,sem nada por baixo,é?” e Flavia: “voce notou!só fico assim em casa!” e rapidamente levantou a blusa,eu adorei ouvi-lo: “nunca vi tão lindo…esse teu corpo precisa de macho bem mais potente do que está tendo” e pra minha loucura ela disse: “sim,precisa!”..meu cacete começou a melar enquanto ele foi dizendo: “não se preocupe com teu marido,com ele me entendo eu,voce é agora é minha,e só minha,vai ser nesse cacete preto que está entre tuas deliciosas pernas que voce vai gemer e chorar,se conseguir suportar dores vai ter os prazeres mais loucos que jamais imaginou ser possivel!” e ela:”tenho mêdo! e ele “do teu marido?” e maravilhado a ouvi:”não da dor..ele é enorme..sou pequena por dentro” …”e do teu marido,não tem medo?”…”voce disse pra eu não me preocupar com ele!”…” isso mesmo,voce é minha,confie no que digo!”…ele começou a lambe-la nos peitos e abocanha-los e ela estava ficando cada vez mais maluca,ele enlaçou-a em seus braços pela cintura e seu rosto apareceu em minha frente,me surpreendeu com os olhos arregalados e com a mão no cacete vendo tudo o que faziam…só eu me embaracei,sem saber o que fazer,ele simplesmente sussurando ordenou à minha mulher que fechasse os olhos e não olhasse pra trás de forma alguma,sabendo do poder que exercia sobre mim,me olhando diretamente nos olhos puxou minha mulher para mais junto dele,seus corpos colaram fortemente, ele me olhando nos olhos fez com meu olhar submissamente baixasse e se dirigissem ao seu imenso cacete preto,que agora aparecia metade entre as pernas de Flavia,ela suspirava fortemente abraçada por Jeff,e nquanto as bolas enormes do saco eram pressionadas entre suas coxas…estava sendo demais para mim,meu coração disparou,minha íntima fantasia acontecia,e agora ele sabia que eu aceitaria todo seu domínio passivamente…quanto mais ele ousava e se impunha mais ela se entregava e esquecia de minha presença,e isso me excitava ainda mais…por instantes receei que ele me ordenasse sair da sala,para dominar e foder minha esposa como bem quisesse, e como ela necessitava ser fodida,mas ele captou meu receio e tudo o mais que se passava em minha mente….ele levantou-se de onde stava,seu porretão saiude entre as pernas de Flavia,apontando para o alto e pulando em todas as direções,para desespero dela e meu ele tentava em vão guardar aquilo sob o short,e baixou a frente da saia e da blusa que tinhm poermanecidas erguidas até aquele instante,e nesse momento percebi o quanto ela o obedecia,pois perguntou se já podia abrir seus olhos,ele autorizou,mas vetou que ela olhasse pra trás,ele perguntou onde era o quarto de casl e dirigiu-se pra lá,minha esposa não ousou olhar pra trás nem nesse momento,ele permaneceu por lá uns 3 mnutos,voltou,beijou pela primeira vez minha esposa na boca,e ela correspondeu totalmente…a seguir ele veio em minha direção,eu finjia dormir profundamente,ele me pegou pelas axilas,levantou-me e me carregou em seu colo para o nosso quarto,ele tinha feito algumas alterações ali,a poltrona que ficava proxima à cabeceira da cama ele havia deslocado para o pé da cama num canto mais escuro do quarto,mas próximo à cama,me colocou sentado ali e disse sussurante:”continue bem adormecido,voce terá o melhor sonho da tua vida!”.. acendeu a luz de um abajur junto a cama deixando-a iluminada enquanto meu canto ficou numa penumbra,bem escura,e cada vez mais eu admirava sua soberania nas atitudes,ele queria que eu visse e ouvisse tudo o que aconteceria,meu único receio agora era Flavia se amedrontar e desistir de tudo,mas logo a seguir vejo-a adentrando nosso quarto trasida pelas mãos por Jeff,ela só disse:” que loucura,isso é loucura!” ou dizer”o que está acontecendo comigo?” ele ouvindo-a dizer essas coisas notou o total descontrole dela e isso o excitou ainda mais…o cacetão dele estava sob o short,bem mal coberto por sinal,pois ele estava em semi-ereção,e ele ordenou:” fique diante do abajur…vai tirando toda tua roupa…bem devagar…comece por cima…pra eu ver esses peitos maravilhosos da minha femea…”
agora eu estava bem confortavel,no escuro sem poder ser visto eu via minha esposa expondo seu corpo,atendendo a todas as ordens daquele que seria seu macho,único macho…ela só perguntou mais uma vez,se eu acordasse, se poderia ficar tranquila quanto à minha presença e ele confirmou totalmente…ela então tornou-se extremamente sensual ao despir-se e ficar totalmente nua diante dele…ele em retribuição à sua obediencia e sensualidade tirou sua camiseta e seu short e expos aquela aberração da natureza em estado de ereção plena e total..eu mesmo que já o conhecia jamais imaginei que pudesse chegar àquele tamanho descomunal…ele ficou em pé diante dela,e olhando detalhadamente o corpo de minha esposa comento: “linda…macia…cheirosa,deliciosa..perfeita!” fez ela girar seu corpo para olhar seu traseiro,nesse giro ela ficou de frente pra onde eu estava,mas ou não me viu ou ignorou minha presença achando que eu realmente dormia,estava dominada,era só dele,continuou expondo sua maravilhosa bunda ao macho,e ele não conteve elogios :”que traseiro!!…que ancas apetitosas! que bunda deliciosa!! que femea maravilhosa!!” ela sentou-se na cama de lado para mim,vi que ela olhava fixamente aquele cilindro preto majestoso,que afez sussurrar :”isso não existe…não pode existir…acho que tou sonhando..vendo coisas!” e ele totalmente senhor da situação falou: “existe e será todo teu…é só me obedecer como fez até agora…e voce terá ele todinho em voce” meu pauzinho quase explodiu nesse momento e a ouvi:”não posso…não vou suportar..é gigantesco demais…amo meu marido..ele me ama tambem..preciso respeita-lo”..pela primeira vez ela lembrou da minha existencia,mas eu não queria ser respeitado,eu queria é que ela fosse uma puta praquele macho que sempre admirei..
estou continuando a seguir!
Foto 1 do Conto erotico: Mais um amigo meu comendo minha esposa!
 

sexta-feira, 28 de março de 2014

O hotel, minha esposa, eu e o negão.

Este fato aconteceu em Janeiro de 2008, eu e minha esposa fomos passar férias em Hotel Fazenda em Minas Gerais, o objetivo era fugir do stress da cidade grande e relaxar, mas aconteceu algo que mudou pra sempre nossas vidas.
Quando chegamos ao local fomos recebidos por um comitê de recepção que nos mostrou todas as opções que dispunham ali, tal como picina, sauna, sala de jogos e etc, após as burocracias fomos ao nosso quarto, guardamos as bagagens e fomos direto para a picina, que estava um pouco cheia, pois fazia bastante calor.
Minha esposa vestia um biquíni amarelo e como tem os seios grandes ficavam bastante aparentes, quando chegamos lá tratamos de nos molhar e entrar na picina, quando minha esposa se molhou na água fria os bicos de seus seios ficaram duros na hora, o que chamou a atenção dos demais, um detalhe qual não háviamos percebido é que a parte de baixo ficou um pouco transparente mostrando os pelos da sua bucetinha.
Entramos na picina e começamos a nadar e vi que alguns homens, dentre eles um negão, olhava fixamente para minha esposa, fiquei com um pouco de raiva e disse a ela o que acontecia, ela disse para não se importar e continuamos quietos, só que algo aconteceu. Em um dado momento o negão passou próximo a nós para sair da picina, pois estávamos próximos a escada, quando a água estava em sua coxa vi que minha esposa o estava olhando e quando me virei para ver o negão estava com uma sunga branca e parecia ter uma garrafa de cerveja lá dentro, minha esposa fixou o olhar e disse bem baixo “Nooossa, quê isso ?” e complementou meio sem graça “Que pouca vergonha !”, mas ví que os bicos de seus seios ficaram duros e ela sempre o olhava enquanto saia da picina e ia andando.
Aquilo me deixou com ciumes, mas um pouco excitado. O negão sentou em uma cadeira longe da picina, no caminho do hotel e logo em seguida saímos para ir embora, quando minha esposa ia saindo foi que vi o que os outros olhavam, a bucetinha dela ficava completamente a vista naquele biquíni devido a trasparencia, era a primeira vez que ela usava e não sabia do “defeito”, ela ficou um pouco sem graça mas quando viu o negão disse ” Ah, agora não tem jeito, vai na frente que vou atrás de vc para me esconder”. Quando íamos passar perto do negão fiz de conta que ia falar algo pra ela e me virei, quando vi que ela estava a 1 metro de mim e sem tampar o biquíni de forma que o negão visse sua bucetinha, no mesmo instante ele fixou os olhos na benga do negão, continuamos andando e quando chegamos ao quarto ela tirou o biquíni, abaixou minha sunga e começou a chupar minha pica como louca, eu a deitei na cama, chupei sua bucetinha e comecei a meter nela, durante a transa ela dizia “Enfia esse pauzão enfia, soca bem fundo, huuuuu, ai que pintão, enfia esse chourição, ahhhh”, eu sabia que ela estava imaginando o pau do negão e resolvi entrar na brincadeira dizendo, “vc está imaginando o cacete do negão da picina não é sua putinha, ficou doida quando viu a cobra na sunga dele não é”, ela se assutou um pouco mas acabou dizendo “sim, nossa que pau grande, huuuu, fiquei louca para colocar a mão e chupar gostoso, quero aquilo tudo na minha buceta”…
Foi um choque ouvir aquilo, até então nunca havia acontecido, mas o lugar desconhecido, pessoas desconhecidas parecia aflorar um tesão diferente nela. No dia seguinte ela vestiu o mesmo biquini e fomos novamente à picina, lá estava o negão e próximo a ele uma mulata que parecia ser sua irmão, entramos na picina e começamos a nadar e sempre via o negão olhando minha esposa e ela as vezes dava uma olhada, ela começou a puxar papo com a irmã do negão e acabamos nos entrosando, surgiu no ar uma opção de brincarmos na picina, onde várias pessoas abriam as pernas e uma teria de passar por entre elas, todos toparam e começamos a brincadeira, reparei que minha esposa sempre demorava um pouco no mergulho, quando ela mergulhou novamente eu fui atrás e me assustei no que vi sob a água, o negão havia colocado o pau pra fora da sunga e ela o segurava na hora de emergir e o negão guardava rapidamente o pau na sunga. Acabei emergindo próximo a irmã dele e sai em frente a ela, continuamos brincando e agora ela subia à frente do negão e ficava de costas para alguem passar, vi que ela ficava próxima ao negão e mudava o semblante do rosto, parecendo sentir prazer, a coisa estava descambando, pois a irmã dele parece ter percebido e começou a sorrir, ela saiu da picina e foi buscar uma bola de borracha pra brincarmos de peru, quando chegou começamos a brincadeira e resolvi tirar um sarro com a irmã do kra tb, coloquei o pau pra fora e quando ela pegou a bola a agarrei por trás e forcei fingindo tentar pegar a bola, ela sentiu meu pau e começou a rebolar, durante a brincadeira minha esposa foi o peru e o negão logo a agarrou pro trás para tentar tirar a bola, via ela fingir segurar a bola com força e vi que o negão a segurava e puxava contra sua barriga, ele fazia movimentos debaixo da água como se estivesse metendo a pica em minha esposa e ela segurava a bola e via que as vezes revirava os olhos, a irmã do negão vendo que o clima havia esquentando nos chamou para ir ao apartamento deles.
Quando chegamos lá, não deu outra minha esposa abaixo a sunga do negão e já foi caindo de boca numa pica enorme e grossa parecia um cabo de enchada, naquilo ela disse “Que pintão gostoso, não resisti meu marido, quero foder como nunca nessa pica enorme”, não tive reação, apenas senti minha sunga caindo e a mulata chupando meu pau, mas não conseguia tirar os olhos de minha chupando a pica e punhetando o que sobrava, ela parecia uma louca, olhava para o negão enquanto chupava, tirava o pau da boca, batia no rosto e dizia “Isso é que é pinto, me fode como vc estava me sarrando na picina, enfia esse pauzão na minha bucetinha”. O negão a deitou no sofá, arrancou o biquini e começou a chupar seus peitos e desceu até sua bucetinha, ela gemia e babava a bucetinha como nunca vi, o negão em seguida colocou aquele pica imensa na entrada da bucetinha da minha esposa e foi empurrando cm por cm enquanto ela urrava dizendo “Nooooossssaaaaa, que delicia, nunca senti um pau tão grande assim em minha buceta, me come negão, me fode”, o negão começou a bombar forte arrancando gemidos dela, enquanto isso eu fodia a mulata de quatro e segurava para não gozar, de repente ouvi minha esposa dizer “Quero foder com 2 ao mesmo tempo”, fiquei louco, minha esposa queria praticar tudo que havíamos visto em filmes pornô.
O negão deitou e ficou com aquela vara enorme pra cima, enquanto minha esposa sentou e foi descendo deixando aquilo tudo entrar em sua buceta, em seguida olhou pra mim e disse “Vem meu maridinho, come o cuzinho de sua esposa come”…nossa…do jeito que ela pediu quase gozei, tirei o pau da buceta da mulata e já fui enfiando no cuzinho dela, ela estava tão louca de tesão que o pau foi entrando fácil e começamos os dois a bombar forte, ela gemia, urrava e pedia, “Isso meus machos, comam a putinha comam, que pintão esse negão tem meu marido, quero foder com um pau grande sempre” e gozava várias vezes seguidas, a mulata colocou a buceta na boca do negão pra que ele chupasse e ficamos naquela putaria até que o negão informou que ia gozar, minha esposa continuou de 4 e o negão disse que queria vê-la tomando leitinho, pra minha surpresa ela disse “Isso dá leitinho na boquinha dá, quero mamar leitinho nessa pica gostosa” o negão ouvindo aquilo saiu debaixo dela e começou a gozar em sua boca, a mulata e minha esposa começaram a chupar a pica do negão juntas e eu não aguetei e acabei gozando no cuzinho dela.
Quando terminamos nos deitamos exaustos, os 4 pelados no sofá, no chão e acabamos repetindo a dose no dia seguinte, quando eu e o negão comemos a irmão dele juntos, mas eles foram embora no outro dia e ficamos mais 2 dias no hotel. Foram as férias mais loucas que aconteceram e hoje fazemos de conta que nada aconteceu, mas sempre nas tranzas ouço minha esposa dizer, “Mete esse chourição mete” e a vida continua.

Minha mulher e o negão super dotado

 
Eu e minha esposa(28 a, morena, 1.52 m , 50 kg) temos um casamento muito gostoso. Somos cúmplices em tudo e nos damos super bem. Há uns dois anos, por iniciativa dos dois, resolvemos realizar algumas fantasias sexuais e isso melhorou muito nossa relação.Em fevereiro, saímos de Fortaleza para 10 dias de férias em Salvador e Rio de Janeiro , numa segunda lua de mel. Já em Salvador, resolvemos caminhar pela orla marítima. Paramos numa barraquinha par tomar uns chopinhos e lá pelas 23:00 h, resolvemos ir a uma boate de streap tease que descobri na internet. Chegando lá, sentamos numa mesa num cantinho escuro e ficamos tomando chopp e observando a movimentação. Homens e mulheres dançavam na pista de forma sensual e a cada meia hora tinha um show de streap e sexo ao vivo no palco.Marina usava uma saia curta que realçava suas pernas torneadas e coxas roliças, bem bronzeadas da piscina do hotel. Vestia um top claro sem soutien e calçava sandálias de salto médio.Os cabelos estavam amarrados para trás e usava uma leve maquiagem. Um tesão. Num dos intervalos, ela disse que queria dançar e a incentivei a ir pois queria vê-la dançando só e ver a reação dos machos ali presentes. Bem a vontade, Marina foi apara pista e logo um rapaz com cara de gringo chegou junto. Ele foi se aproximando e encostando no seu braço e passou a falar em seu ouvido, e a convidou para um drink.Da mesa, já imaginando o que rolava e de pau duro de tesão, afirmei que sim com a cabeça, entretanto, aquele cara despertou tesão nela e minha esposinha voltou à mesa. Mais um show e depois voltou a música. Mais uma vez, Marina voltou para pista e desta vez quem se aproximou foi um homem bem escuro, de mais ou menos 1.90 m e mais de cem quilos de músculos.Notei que ela gostou pois sorria com o que ele dizia.Nesse momento, por obra do destino, toca uma música lenta e ela a convidou para dançar, no que foi prontamente atendido. Carlos, esse era seu nome,a enlaçou com os braços fortes e longos e suas mãos grandes a apertaram ,puxando-a ao encontro do seu corpo e aninhando-a em seu peito musculoso.Da mesa, ví o negão a levar lentamente para o canto mais escuro da pista, sempre suspirando em seu ouvido.Conhecendo minha mulher, logo imaginei que sua calcinha, que guarda uma buceta maravilhosa,sedenta e gulosa, estava toda molhadinha. Para não perder nenhum detalhe daquele momento de tesão e por estarmos numa cidade onde não conhecíamos ningém e por isso sem reservas entre os presentes, levantei da mesa e fui em direção ao banheiro, que fica ao lado de onde aquele homem sarrava, sem reservas, a minha esposinha.Parei próximo a coluna e, protegido por ela, passei a observar a cena de ângulo privilegiado. Marina, totalmente tarada, era lambida na orelha pelo negão enquanto sentia seu pau duro, que fazia um enorme volume nas calças e tocava na altura de sua barriga. Suas mãos apertavam a bunda da minha safadinha, que estava totalmente entregue. Aquela cena me excitou demais e sinti o pau doer de tão duro. Calmamente, Carlos pegou sua mão e a dirigiu àquela ferramenta. Marina, de olhos fechados, passou a apalpar a ferramenta dele e sorria de satisfação, já imaginando ser comida de todas as formas por aquele monumento que tinha na mão.Nesse instante acaba a música e eu, num ímpeto, dirigi-me a eles e os convidei à mesa para um drink. Carlos estranho mas depois de feitas as apresentações e sabendo se tratar de um casal liberal, ficou bastante a vontade. Sentamos na mesa com Marina entre nós dois, pedimos mais três choppinhos e passamos a conversar.Como estávamos num canto escuro e cobertos da cintura para baixo pela toalha da mesa, tomei a iniciativa e passei a provocar Marina com carícias que iam das pernas a sua xaninha que estava molhadíssima. Rapidamente a putinha pegou no pau de Carlos, que já estava para fora das calças, e passou a punheta-lo.Seus olhos brilhavam de desejo. Completamente tesudos, os três, ficamos naquela sacanagem por um bom tempo. Quase dei uma gargalhada quando ela disse que não conseguia fechar a mão em torno daquela obra de arte cor de ébano. Já não agüentando mais, e sabendo que o cara era um militar de marinha do Rio de Janeiro que estava de passagem por Salvador e afim de aventuras, convidamos o Carlos, par ir até nosso hotel.Já no caminho, minha esposa e o negão foram no banco de trás, no maior sarro e beijos, onde ele chupava seus seios e enfiava um dedo, que mais parecia uma rola de tão grande e grosso, na bucetinha cheirosa e quente dela.Mal entramos no quarto e Marina puxou a calça daquele macho e a cueca veio junto.Marina deu um gritinho de espanto ao ver ao vivo o que ela só sentira na mão: um cacete enorme, grosso com uma cabeça que parecia uma xícara de tão nutrida.Carlos, que até então pouco falava, ordenou que ela o chupasse e ela, ajoelhando-se passou a lamber sua pirocona que mal cabia em sua boca. Como boa chupadora de cacete que é, Marina de início só conseguia engolir a cabeça daquele monumento de nervos duro como pedra. Tirei minha roupa e fiquei observando a cena, já batendo uma lenta punheta. Depois de acostumada com aquela vara, Marina passou a lamber por toda extensão e dava linguadas na cabeça da rola do negão e acariciava seu saco. Carlos, já tomado de tesão, avisou que iria gozar e então, como uma boa chupadora de rola, chupou mais depressa e recebeu uma gozada farta e forte. A porra do negão encheu sua boca e ainda melou sua cara e colo. Carlos, ainda não satisfeito e sem descansar, a levantou, arrancou tua roupa e rasgou tua calcinha.Ele a colocou nos braços e a jogou na cama.Abriu suas pernas, elogiou o tamanho de sua buceta e, sem rodeios, enfiou sua língua roxa. Ele enfiava a língua em sua gruta e depois passava em seu pinguelinho duro de desejo.Em poucos minutos e me dizendo que estava adorando aquele macho,teve o primeiro orgasmo, longo e intenso. O negão já estava de pau duro de novo e disse que agora iria fuder aquela buceta, iria desvirgina-la com um pau de verdade, que ela agora ia saber o que era dar para um cacete de macho. Olhando em minha direção , ele ordenou que providenciasse uma camisinha que prontamente dei.Olhou para minha mulher, que já não se agüentava de desejo de levar aquela rola toda( até então a maior rola que Marina levara fora a minha que tem comprimento normal mas é muito grossa) e disse: vou te fuder de todas as formas na frente do teu marido corno e ele vai me auxiliar.Voltando a falar comigo, me ordenou que encapuzasse seu pauzão.Tive muita dificuldade em faze-lo pois a camisinha mal cabia naquele cacetão e confesso que aproveitei para sentir nas mão aquela tora. Carlos passou a pincelar a xoxotinha fogosa de Marina, que piscava sem parar, e ficou um bom tempo naquela “tortura”. Ela implorava, despudoradamente, que queria ser fudida, comida, dominada. Implorava para que ele a arrombasse e a fizesse gozar. Entrei no clima e a chamava de safada, tarada e disse-lhe que duvidava que ela desse conta daquele cacetão, que ela não era fêmea suficiente para aquele macho.Marina reagiu melhor do que esperava, empurrou Carlos e ele ficou de costas na cama com o mastro em riste. Olhando para mim, Marina foi sentando em seu cacete e ao mesmo tempo dizia que ela dava conta de qualquer macho e que eu iria vê-la fazer o negão gostoso e picudo gozar. Ela foi sentando lentamente e fez aquela cobra desaparecer em sua buceta. Já adaptada ao enorme invasor, passou a cavalgar feito louca, gemendo sem parar. Carlos a chamava de gostosa e dizia que aquela era a melhor coninha que já tinha metido..Sentei ao seu lado para observar melhor e vi, quase sem acreditar, aquela vara magnífica entrar e sair de dentro da minha amada. Ela, totalmente preenchida e tomada pelo prazer, revirava os olhos e mordia os lábios enquanto era estocada estocada e o saco do negão tocava sua bunda. Marina dizia: me fode seu negão filho da puta, mete esse pau enorme e gostoso na minha buceta.Carlos, que estava adorando comer a buceta da minha mulher na minha presença, puxou Marina ao encontro de sua boca e passou a beija-la com sofreguidão e a volúpia de dois corpos entregues ao prazer. Aumentando o ritmo das estocadas, o negão passou um dos dedos no líquido que escorria em profusão da xana de Marina e enfiou em seu rabinho apertado o que fez Marina gemer mais alto. Carlos então me chamou e mandou que a enrabasse dizendo que agora aquela putinha iria saber o que era ser fudida.Obedeci e pegando o KY na mala, lubrifiquei meu cacete e fui metendo naquele cuzinho conhecido. Em pouco tempo acertamos a cadência e ficamos fudendo nossa putinha por um bom tempo.Marina gozou umas cinco vezes e ficou sem forças nem para se mexer. Tiramos nossa rolas de dentro dela e demos um banho de porra na safada. Fomos os três para o banho e depois tomamos uma cervejinha para relaxar. Foi quando tive a idéia de ver Marina repetindo a cena de streap tease que vimos na boite. Carlos vibrou. Marina se preparou, sintonizou uma música sensual. Apagou as luzes deixando somente o abat jour e iniciou a sessão. Ela estava muito sensual e excitada e isso nos deixou em ponto de bala. Após tirar toda a roupa e dar a calcinha para Carlos cheirar e sentir o aroma de sua buceta, ajoelho-se e passou a chupar seu saco, dando leves linguadas em seu cuzinho e punhetando sua jeba. Marina estava se superando e aquela cena me deixou taradissimo. Me posicionei por trás da minha mulher e passei a fuder sua bucetinha, já alargada pelo colosso do negão. Foi então que Carlos falou: ô seu corninho, já vi como você saca minha piroca. Quero que você venha ajudar sua mulher e minha puta, a me chupar. Não me fiz de rogado e assim o fiz .Enquanto dividíamos a rola de Carlos, nos beijávamos e Marina me punhetava. Passamos um bom tempo naquela chupação Carlos ainda comeu minha mulherzinha de várias formas e ainda conseguiu a proeza de enraba-la. Às 06:00 h, fomos deixa-lo no navio que iria leva-lo a uma viagem de seis meses rumo a o exterior .No caminho, Carlos ainda beijou Marina por várias vezes e a fez gozar numa siririca onde com uma mão alisava seu grelo duro e com a outra penetrava sua buceta(já bem castigada pelo enorme caralho do negão) com dois dedos. Deixamos Carlos no cais e voltamos, abraçadinhos, para o hotel onde Marina dormiu um sono profundo e tranqüilo de uma fêmea saciada. Agora estamos em busca de casais, realmente casados, para aventuras sem frescuras ou preconceitos onde possamos realizar muitas fantasias. Aguardamos contato.